19 março 2010

Canção do Exílio

Minha terra tem presídios,
Facções e o P.C.C.,
Os ladrões que lá são presos
Tomam até vinho rosê.

Nosso céu tem mais carbono e gás metano.
Nossas várzeas agora são grandes avenidas.
Nossos bosques tem mais projetos sociais,
Cesta básica, escola para todos e outras iniciativas.

Ao usar cartões de crédito
Minha conta estourou!
Minha terra tem bancários,
Malditos gerentes e o Cristo Redentor.

Minha terra tem políticos
E seus caprichos de direito.
Caixa um, dois, três, quiçá quatro.
E o povo, lá de baixo, grita contrafeito:

“Minha terra é um coliseu
Onde leões atacam cristãos,
E a máfia, rindo no Congresso
Assiste a essa destruição.”

Mas também há o axé dos carnavais,
O funck, o pagode, o pop e o rock.
Minha terra tem o samba no sangue
E nas ruas das cidades, o hip hop.

Minha terra é a sua também.
Portanto grite alto, pule de alegria,
Pois nós tivemos o pan,
E teremos a copa e as Olimpíadas.

Todavia, o que espero mesmo
Gonçalves Dias, é que até lá
Ainda existam palmeiras
Para cantar seu Sabiá.

2 comentários:

  1. que legal tonny!! uashuahhas

    ResponderExcluir
  2. Léo Queiroz20 março, 2010

    Mto legal suas postagens. São seus todos esses poemas?..se sim, parabéns...abs!

    ResponderExcluir